fbpx

Pós-doutorado e treinamento técnico em biomateriais com bolsa da FAPESP

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Duas oportunidades estão disponíveis em projeto do Instituto de Química da USP voltado ao desenvolvimento de estruturas 3D para aplicações biomédicas

Uma vaga de pós-doutorado e outra de treinamento técnico nível três (TT-3) com bolsa da FAPESP estão disponíveis para o Projeto Temático “Arcabouços sintéticos e naturais aplicados à medicina regenerativa“, conduzido no Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP). As inscrições podem ser feitas até 31 de março de 2019.

O subprojeto de pós-doutorado desenvolverá estruturas 3D a partir de proteína recombinante derivada de elastina para aplicações biomédicas. O objetivo é desenvolver um método de produção de proteínas para uso como hidrogéis em impressão 3D e criar dispositivos para cultivo de células-tronco mesenquimais.

Os candidatos deverão ter título de doutor obtido nos últimos cinco anos em áreas relacionadas ao projeto. Preferencialmente, devem apresentar experiência com biomateriais e técnicas correlatas, além de testes in vitro e in vivo.

Mais informações sobre a vaga de pós-doutorado: www.fapesp.br/oportunidades/2724.

Informações sobre a vaga de treinamento técnico: www.fapesp.br/oportunidades/2725

A oportunidade de pós-doutorado está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP no valor de R$ 7.373,10 mensais e Reserva Técnica equivalente a 15% do valor anual da bolsa para atender a despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa.

Caso o bolsista de PD resida em domicílio fora da cidade na qual se localiza a instituição-sede da pesquisa e precise se mudar, poderá ter direito a um auxílio-instalação. Mais informações sobre a Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP estão disponíveis em www.fapesp.br/bolsas/pd.

Para a vaga de treinamento técnico, o bolsista desenvolverá com os colegas do projeto técnicas de análise específicas para os diversos materiais trabalhados no grupo. O candidato deve ter formação em Química e conhecimentos básicos de cromatografia para operar equipamento destinado à análise de massas molares (Gel Permeation Chromatography).

Os interessados pelas oportunidades devem enviar carta de interesse, súmula curricular e duas cartas de referência para o coordenador do projeto, o professor Luiz Henrique Catalani (catalani@usp.br).

A Bolsa de TT-3 tem valor de R$ 1.228,40 mensais. É direcionada a graduados do nível superior, sem reprovações no histórico escolar e sem vínculo empregatício. A dedicação deverá ser de 16 a 40 horas semanais às atividades de apoio ao projeto de pesquisa. O tempo de bolsa TT-3 será descontado no caso de o interessado vir a usufruir de Bolsa de Mestrado ou Doutorado Direto.

Mais informações sobre as bolsas de Treinamento Técnico da FAPESP: www.fapesp.br/bolsas/tt.

Outras vagas de bolsas, em diversas áreas do conhecimento, estão no site FAPESP-Oportunidades, emwww.fapesp.br/oportunidades.

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Linha SafePack do Grupo Polar mantem estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo

Novas tecnologias, que foram apresentadas na 24 ª FCE Pharma, foram desenvolvidas para manter e garantir estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo  

15ª edição da Analitica Latin America traz Rodada de Negócios: espaço reservado para a efetivação de negócios

Reprodução de Analitica Latin America A Analitica Latin America, visando proporcionar mais oportunidades de negócios aos seus expositores, preparou uma novidade para esse ano. No

Revista Analytica: a revista do controle de qualidade industrial

Na edição simbólica de número 100 da Revista Analytica, trazemos dois grandes artigos para fornecer bases científicas para todos que atuam na área. No ramo

CTG Brasil investe mais de R$4 milhões em projeto para geração de biocombustível

Projeto sobre macrófitas, em parceria com o Senai, terá duração de três anos e receberá investimento de R$ 4,6 milhões   A CTG Brasil, segunda

Quase invisíveis: novas técnicas analíticas detectam contaminantes emergentes e perigosos

TEXTO LUIZ SUGIMOTO | FOTOS ANTONIO SCARPINETTI | EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA  Imprensa UNICAMP Os contaminantes emergentes são assim chamados porque falta legislá-los,

Seções
Fechar Menu