Workshop sobre inovação farmacêutica reúne empresas, ABDI, CNPq e Fapesp

O Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma) promoveu nos dias 4 e 5 de junho o workshop “Perspectivas e Iniciativas para Inovação Farmacêutica”, no qual especialistas abordaram as tendências tecnológicas, apresentaram “cases” da indústria farmacêutica e analisaram as leis e programas que incentivam e regulam a inovação no país.

O diretor técnico-científico da Biolab, Dante Alário Júnior, falou sobre a experiência de 15 anos da empresa na área de inovação. “Eu sempre digo que o processo de inovação só tem começo, não tem fim; no momento que você entra e vê claramente os resultados, dificilmente interrompe esse processo”, afirmou.


Kesley Oliveira, do Cristália, durante sua palestra no segundo dia do evento (Sindusfarma)

Nacionalização

O processo de nacionalização do princípio ativo da pomada Colagenase, produto inovador no mercado brasileiro, foi apresentado pela gerente de Pesquisa e Desenvolvimento do laboratório Cristália, Kesley Oliveira. “Compartilhamos [no encontro] o processo produtivo que resultou em uma patente que envolve um meio de cultura livre de componentes animais e também o processo de prospecção de bactérias anaeróbicas da nossa biodiversidade que são capazes de produzir essa Colagenase”. O laboratório patenteou o insumo farmacêutico ativo (IFA) da Colagenase.

Cleila Pimenta, especialista em Projetos de Saúde, Nanotecnologia e Biotecnologia da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), fez uma palestra sobre as tendências tecnológicas no setor farmacêutico, a percepção do empresariado e as potencialidades da indústria brasileira no contexto da indústria 4.0.


Dante Alário Júnior, da Biolab, fez palestra no segundia dia do encontro (Sindusfarma)

Edital

O diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico eTecnológico (CNPq), Marcelo Morales, destacou o novo edital da instituição sobre Inovações em Saúde, com foco em fármacos e medicamentos, e a melhoria obtida com a lei que regulamenta o uso de animais em pesquisas e a adoção de métodos alternativos.

Sérgio Queiroz, da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp), informou sobre os três principais programas de apoio à inovação do órgão: Programa de Apoio à Pesquisa em Pequenas Empresas (PIP); Parceria para Inovação Tecnológica (PIT); e o Centro de Pesquisa em Engenharia.

O encontro foi coordenado pelo diretor de Assuntos Técnicos e Inovação do Sindusfarma, Jair Calixto, e também contou com a participação do presidente emérito da Academia Nacional de Farmácia, Prof. Lauro Moretto, entre outros palestrantes.

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Seções
Fechar Menu