fbpx

Vácuo no laboratório – De onde vem?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

VACUU_LAN_UK.psd_1500px“Saindo da parede” – poderia ser uma resposta típica. Ninguém se preocupa com este assunto, desde que tudo funcione bem e todas as conexões e válvulas necessárias estão disponíveis. Se existe vácuo ou não, você provavelmente nem sequer notará até que não haja vácuo disponível por qualquer motivo. A tecnologia de vácuo costuma ser utilizada em aplicações típicas de laboratório, como evaporação, secagem ou filtração – sendo indispensável! Existem várias possibilidades de fornecer vácuo no laboratório – cada uma tem suas vantagens e desvantagens:

Bomba de vácuo de uso único

Tendo apenas uma bomba de vácuo no laboratório, você certamente não se perguntará de onde vem o vácuo necessário. Ter uma bomba de vácuo quimicamente resistente exclusivamente para sua aplicação é a solução individual ideal, que oferece as melhores condições de trabalho. As bombas de diafragma com resistência química, com condensador de vapor de exaustão para recuperação de solvente e coletor para proteção de bomba contra o vapor condensado definitivamente devem ser a primeira escolha. As bombas de diafragma VARIO® da VACUUBRAND® com velocidade de motor variável e com outras opções de ajuste e controle oferecem vantagens adicionais, como ter o “vácuo sempre correto”, economia de energia e controle remoto.

Central de vácuo

Controlada rede de vácuo VACUUM LAN®: bomba de vácuo na prateleira debaixo do armário – controlador multimídia integrado em parede.
Controlada rede de vácuo VACUUM LAN®: bomba de vácuo na prateleira debaixo do armário – controlador multimídia integrado em parede.

As coisas são diferentes se uma tubulação de vácuo precisa ser conectada a um bocal de mangueira disponível na parede e uma válvula precisa ser aberta. Nesse caso, o fornecimento de vácuo vem de uma central ou de uma rede local de vácuo. O usuário de laboratório geralmente tem pouca influência em ter o vácuo final adequado ou taxas de fluxo perfeitamente adequadas para sua aplicação – apesar das bombas de vácuo de grandes dimensões serem tipicamente usadas em sistemas de vácuo central. A ventilação de curta duração de diferentes aplicações pode influenciar negativamente o desempenho de todo o vácuo de laboratório alimentado centralmente. Futuras modificações tornam-se difíceis devido à falta de flexibilidade das instalações de tubulação fixas. A manutenção do gerador de vácuo ou do sistema de tubulação pode afetar todos os usuários ao mesmo tempo. Podem desenvolver-se misturas não desejadas de vapores e solventes de vários laboratórios dentro das longas tubulações. Todos esses fatores devem ser considerados, bem como os altos custos operacionais e de manutenção.

Rede de vácuo VACUU • LAN® para laboratórios

Uma rede local de vácuo representa a harmonia perfeita de uma bomba de usuário único e um vácuo centralizado. Várias aplicações podem ser operadas ao mesmo tempo. A instalação é simples, rápida e requer poucas ferramentas. As válvulas anti retorno nas saídas individuais diminuem o risco de interferência entre aplicações paralelas. A bomba de rede localizada na parte inferior do armário funciona praticamente em silêncio e oferece, dependendo do modelo, muitas conveniências: não é necessária uma supervisão permanente e permite operação contínua 24 horas por dia. O vácuo é gerado somente se necessário (“vácuo sob demanda”).

VACUU·LAN_Titel_EN.psd_1500pxA rede de vácuo VACUU.LAN® da VACUUBRAND® está evoluindo continuamente juntamente com seus clientes para se adaptarem aos modernos sistemas de instalações laboratoriais. O objetivo é uma melhoria constante do suprimento de vácuo em laboratórios de ensino, pesquisa e na indústria. A idéia é eficiente e simples: várias estações de trabalho de laboratório usando uma bomba de diafragma eficiente e resistente a produtos químicos. Cada estação de trabalho obtém vácuo através de um módulo VACUU.LAN® cuja válvula de retenção integrada diminui consideravelmente a influência paralela com alta eficácia. Tubos de PTFE resistentes a produtos químicos e conectores de tubulação ligam a bomba do servidor de rede aos módulos da estação de trabalho. Tais redes VACUU.LAN® podem atingir níveis de vácuo de até 2 mbar. A grande variedade de módulos de conexão disponíveis oferece soluções individuais e de economia de espaço para todas as aplicações de vácuo comuns. O VACUU.LAN® é altamente flexível e pode ser planejado e integrado em novos móveis de laboratório ainda não instalados ou adaptados a laboratórios já existentes. O controle de rede automático da bomba fornece vácuo sob demanda, proporcionando assim menores agressões ambientais e maiores gastos orçamentários. Uma ampla gama de acessórios, como condensadores sem fluido refrigerante, monitoramento de níveis de líquido de frascos de coleta e interfaces para monitoramento remoto da operação da bomba, aumentam adicionalmente a segurança do processo.

Mais informações encontram se em um vídeo da rede de vácuo VACUU.LAN® disponíveis em www.vacuubrand.com. Peça folder informativo gratuito através de info@vacuubrand.com. Isso o ajudará a planejar sua rede com a escolha adequada da bomba central e seleção de módulos e acessórios adequados para a estação de trabalho. Ou simplesmente ligue para nossos especialistas +49 9342 808 5550.


QR_code_VACUULAN-Clip_YOUTUBE

 

Contato:

info@vacuubrand.com

Telefon: +49 9342 808 5550

www.vacuubrand.com 


Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Linha SafePack do Grupo Polar mantem estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo

Novas tecnologias, que foram apresentadas na 24 ª FCE Pharma, foram desenvolvidas para manter e garantir estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo  

15ª edição da Analitica Latin America traz Rodada de Negócios: espaço reservado para a efetivação de negócios

Reprodução de Analitica Latin America A Analitica Latin America, visando proporcionar mais oportunidades de negócios aos seus expositores, preparou uma novidade para esse ano. No

Revista Analytica: a revista do controle de qualidade industrial

Na edição simbólica de número 100 da Revista Analytica, trazemos dois grandes artigos para fornecer bases científicas para todos que atuam na área. No ramo

CTG Brasil investe mais de R$4 milhões em projeto para geração de biocombustível

Projeto sobre macrófitas, em parceria com o Senai, terá duração de três anos e receberá investimento de R$ 4,6 milhões   A CTG Brasil, segunda

Quase invisíveis: novas técnicas analíticas detectam contaminantes emergentes e perigosos

TEXTO LUIZ SUGIMOTO | FOTOS ANTONIO SCARPINETTI | EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA  Imprensa UNICAMP Os contaminantes emergentes são assim chamados porque falta legislá-los,

Seções
Fechar Menu