fbpx

Obtenção do nitrato de cobre (II) através reação química do cobre com ácido nítrico

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Resumo: Ao adicionar fio de cobre no erlenmeyer contendo ácido nítrico concentrado a concentração: 65% PA, ocorre uma reação exotérmica com dissolução rápida. O cobre reage com o ácido formando nitrato de cobre (de coloração verde), liberando óxido de nitrogênio e água. Por apresentar um forte agente oxidante na sua estrutura, (ânion NO3-) o ácido reage com cobre. Observou-se que o gás desprendido observando-se não só o desprendimento de NO2 vermelho-acastanhado, mas também a formação do nitrato de cobre (II), de coloração azul. O gás NO reage com o O2 do ar, formando NO2. A cor verde da solução é produzida pela combinação da cor azul do íon Cu2+ aquoso com a cor castanha do dióxido de nitrogênio dissolvido.

Palavras-chave: Dióxido de Nitrogênio, Nitrato de Cobre (II), Ácido Nítrico.

Autores: Luciano Nascimento e Anastasiia Melnyk


Para acessar o artigo acesse:


 

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Linha SafePack do Grupo Polar mantem estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo

Novas tecnologias, que foram apresentadas na 24 ª FCE Pharma, foram desenvolvidas para manter e garantir estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo  

15ª edição da Analitica Latin America traz Rodada de Negócios: espaço reservado para a efetivação de negócios

Reprodução de Analitica Latin America A Analitica Latin America, visando proporcionar mais oportunidades de negócios aos seus expositores, preparou uma novidade para esse ano. No

Revista Analytica: a revista do controle de qualidade industrial

Na edição simbólica de número 100 da Revista Analytica, trazemos dois grandes artigos para fornecer bases científicas para todos que atuam na área. No ramo

CTG Brasil investe mais de R$4 milhões em projeto para geração de biocombustível

Projeto sobre macrófitas, em parceria com o Senai, terá duração de três anos e receberá investimento de R$ 4,6 milhões   A CTG Brasil, segunda

Quase invisíveis: novas técnicas analíticas detectam contaminantes emergentes e perigosos

TEXTO LUIZ SUGIMOTO | FOTOS ANTONIO SCARPINETTI | EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA  Imprensa UNICAMP Os contaminantes emergentes são assim chamados porque falta legislá-los,

Seções
Fechar Menu