fbpx

Metrologia no Brasil do século XIX: da implementação do sistema métrico francês a estruturação científico-filosófica no século XX

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Introdução: No início do século XIX os padrões de medição em uso no Brasil foram herdados dos padrões eleitos e utilizados na Metrópole, Portugal, desde a emissão das Ordenações Manuelinas, no início do século XVI. Nesse documento o rei de Portugal, Dom Manuel, estabelece os processos de fundição, distribuição e utilização de padrões de massa e volume. Os padrões eleitos eram produzidos em fundições na Inglaterra e importados para a corte, de onde eram distribuídos para as principais cidades de Portugal, a exemplo de Lisboa e Porto.

O uso de tais mecanismos de controle da troca e aquisição de bens de consumo seguia diferentes tradições em outras vilas, sendo as metrópoles as principais responsáveis pela economia interna do reino – e por esse motivo fora estabelecido o cargo de supervisor, mesmo fiscal de uso de tais padrões em estabelecimentos comerciais formais, sendo eles as antigas quitandas ou mesmo as feiras de rua.

Autora: Patricia Moura


Acesse o artigo na íntegra:

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Linha SafePack do Grupo Polar mantem estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo

Novas tecnologias, que foram apresentadas na 24 ª FCE Pharma, foram desenvolvidas para manter e garantir estabilidade sob temperaturas extremas por muito mais tempo  

15ª edição da Analitica Latin America traz Rodada de Negócios: espaço reservado para a efetivação de negócios

Reprodução de Analitica Latin America A Analitica Latin America, visando proporcionar mais oportunidades de negócios aos seus expositores, preparou uma novidade para esse ano. No

Revista Analytica: a revista do controle de qualidade industrial

Na edição simbólica de número 100 da Revista Analytica, trazemos dois grandes artigos para fornecer bases científicas para todos que atuam na área. No ramo

CTG Brasil investe mais de R$4 milhões em projeto para geração de biocombustível

Projeto sobre macrófitas, em parceria com o Senai, terá duração de três anos e receberá investimento de R$ 4,6 milhões   A CTG Brasil, segunda

Quase invisíveis: novas técnicas analíticas detectam contaminantes emergentes e perigosos

TEXTO LUIZ SUGIMOTO | FOTOS ANTONIO SCARPINETTI | EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA  Imprensa UNICAMP Os contaminantes emergentes são assim chamados porque falta legislá-los,

Seções
Fechar Menu