Laboratório de Inovação da Água chega ao Brasil para propor soluções aos desafios hídricos no país

• Primeira edição brasileira do programa canadense WIL – Water Innovation Lab será realizada de 04 a 10 de novembro, em São Paulo e em Embu-Guaçu, no interior do estado

• Além de atividades com foco na transferência de conhecimento, evento irá desafiar os participantes à inovação. Ao final, alguns projetos serão selecionados para receberem apoio

Cerca de 80 participantes, entre técnicos, estudantes e jovens pesquisadores da água, estarão reunidos entre os dias 4 e 10 de novembro em uma programação que terá início em São Paulo e vai até o município de Embu-Guaçu no espaço Aruanã, no interior do estado, com um desafio principal: criar inovações para responder aos desafios hídricos no Brasil. As atividades fazem parte do Laboratório de Inovação da Água (WIL – Water Innovation Lab, na sigla em inglês), iniciativa global da ONG canadense Waterlution, que será realizado no país pela primeira vez.

Com patrocínio da Dow Water & Process Solutions, IBM, Ambev, Grupo Europa e BRK Ambiental, a edição local tratará de temas como: conservação e reuso da água, recuperação das nascentes, inovações tecnológicas acessíveis e economia circular. A ideia do programa é acelerar o compartilhamento de conhecimento, criar habilidades de liderança e promover o desenvolvimento de soluções para os desafios da água no Brasil.

“Esta é uma experiência vivencial de aprendizagem, reflexão e criação voltada às questões da água com o objetivo de promover um ambiente de inovação e de mudanças nos padrões atuais”, explica Dawn Fleming, diretora da Cultura Curiosa e responsável pela curadoria do WIL Brasil. “Reunimos em cada Water Innovation Lab jovens talentos em uma agenda propositiva voltada às necessidades de cada país para compartilhar ideias e conhecimento com vistas ao desenvolvimento de projetos e iniciativas que resultem em soluções reais”, reforça Dawn.

Antes de definir a agenda do evento, a equipe da Waterlution realizou uma ampla pesquisa a fim de identificar as principais necessidades e dificuldades hídricas no Brasil. A programação incluirá então atividades vivenciais e de inovações, visitas técnicas às estações de tratamento de água e aos principais rios da cidade de São Paulo, e visitas comunitárias para conhecer intervenções acessíveis de economia circular, captação da água, modelos de cisternas, saneamento e biodigestores.

Cerca de 20 especialistas, selecionados entre os maiores nomes brasileiros em água e temas relacionados, foram nomeados mentores do WIL Brasil e terão a missão de incentivar a capacidade de liderança e o desenvolvimento dos participantes ao longo do evento. Profissionais como Carlos Henrique Falci, pesquisador e professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Guilherme Castagna, mestre em Gerenciamento de Projetos pela Universidade de Nova Gales do Sul em Sydney na Austrália, Manuella Curti de Souza, pós-graduada pelo INSPER (Instituto de Ensino e Pesquisa) em Administração de Empresas e formada em Direito pela PUC/SP, e Marussia Whately, arquiteta e urbanista, especialista em Recursos Hídricos e Saneamento, estão entre os mentores confirmados do programa.

Os participantes também contarão com a orientação da equipe do Pluvi.On, empresa especializada na redução de impactos sociais e financeiros decorrentes de eventos climáticos extremos, e do grupo Rios& Ruas, iniciativa criada em 2010 pelo geógrafo Luiz de Campos Jr e pelo urbanista José Bueno para transformar a percepção das pessoas a respeito das realidades urbanas e revelar a presença desejável de rios e riachos soterrados vivos sob as cidades. Está prevista ainda a participação da Mirante Lab, uma agência representante do movimento Maker (ou, em português, “Faça você mesmo”), que deverá inspirar o desenvolvimento de soluções inovadoras voltadas à sustentabilidade.

Ao longo da programação, os jovens serão estimulados e orientados, inclusive com o apoio dos mentores, a criarem projetos para responder os desafios hídricos identificados. Esses projetos poderão ser aplicativos, pequenas empresas e até iniciativas junto à comunidade. Ao final das atividades, as ideias serão votadas pelos próprios participantes e mentores. As propostas selecionadas receberão incentivo e coach dos parceiros de negócios da ONG, a fim de se tornarem realidade.

Para o coordenador da Câmara Técnica de Reuso e Dessalinização da ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental), Renato Ramos, que também é diretor Comercial da Dow Water&Process Solutions, a gestão da água é ainda o maior desafio hídrico no Brasil. “Precisamos criar uma cultura de conscientização já que muitas pessoas ainda não se deram conta de que esse é um recurso esgotável. Nesse sentido, nada melhor do que reunir pesquisadores e estudiosos da área para juntos pensarem em soluções e alternativas para evoluirmos nessa questão”, explica Ramos, um dos mentores do grupo.


Serviço:

Laboratório de Inovação da Água

Quando: de 4 a 10 de novembro de 2017, na cidade de Embu-Guaçu, no interior de São Paulo (fechado para participantes)

Mais informações no site https://waterlution.org/brasil/


 

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Seções
Fechar Menu