fbpx

Estudo da utilização do suco de Cajá (spondias mombin l.) como adjunto do malte, em diferentes concentrações, na produção de cerveja

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Resumo: A cerveja é geralmente produzida com malte de cevada, lúpulo, água e levedura, sendo que parte do malte pode ser substituído por adjuntos, que são outras fontes de carboidratos fermentáveis. Assim, utilizou-se o suco da fruta Cajá, em concentrações de 15% e 49% em peso do mosto, como adjunto misto do malte com o objetivo de produzir uma cerveja de baixa fermentação, Lager. Os resultados mostram que o aumento da concentração de adjunto no mosto cervejeiro não favoreceu a fermentação. A amostra contendo 15% de suco de cajá produziu 7,48% v/v de etanol utilizando 98,70 g/L de extrato aparente, enquanto que a produção de etanol da amostra com 49% de adjunto produziu 5,55% v/v de etanol e consumiu 93,69 g/L de extrato aparente. Os resultados da produtividade volumétrica em etanol (Qp), do rendimento real em etanol (Yp/s) e da fermentabilidade também demonstraram melhor desempenho da levedura no mosto com 15% de adjunto, sendo que os maiores valores de Qp alcançado foi de 0,51g/L.h, Yp/s de 0,50 g/g e fermentabilidade de 98%.

Palavras Chave: Cajá (Spondias mombin L.), Adjunto, Cerveja

Autores: Laryssa Damasceno Muniz, Verena Fiscina de Mello, José Ailton Conceição Bispo, Vanildo Luiz Del Bianchi e Giovani Brandão Mafra de Carvalho


Acesse aqui o artigo:

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Gelita apresenta amplo e diferenciado portfólio de gelatinas de aplicação industrial na FCE Pharma

A Gelita, a empresa líder mundial no fornecimento de proteínas de colágeno para diversos ramos da indústria, participou da FCE Pharma 2019 colocando à mostra

Tecnologia, qualidade e menor custo: conheça softwares da Merck que prometem mudar a lógica da indústria farmacêutica

Presente na FCE Pharma de 2019, a Merck trouxe inovações que prometem mudar o curso da indústria farmacêutica: aliando tecnologia, produção e custos. Com mudanças

Equipamento de gerenciamento integral da cadeia fria: conheça Polar Tracker, da o Grupo Polar

Em um país como o Brasil, que possui uma variedade de temperatura tão grande, é um desafio manter a eficácia do medicamento durante o transporte

Honeywell lança linha de filme de barreira termoformável para embalagens farmacêuticas no Brasil

Nova linha de filmes de barreira com custo mais efetivo atende às necessidades da indústria por produção e entrega mais rápidas.   — A Honeywell

Contra cross-linking de cápsulas gelatinosas, GELITA destaca linha de produtos RXL na FCE Pharma

Além de ampliar shelf life das cápsulas gelatinosas, tecnologias patenteadas anti cross-linking da GELITA garantem ação mais rápida de medicamentos e suplementos, maior estabilidade, ou

Seções
Fechar Menu