Determinação e eficácia do teor de cloro em águas sanitárias comercializadas na cidade de Maceió/AL

Resumo

O consumo de verduras, legumes e frutas in natura é muito comum entre a população, porém consumir esses alimentos crus sem higienização ou executado tal procedimento de maneira incorreta pode desencadear um veiculo importante de contaminação microbiana. Por isso é de suma importância realizar a higienização correta desses alimentos, existindo métodos fáceis e econômicos como, por exemplo, o uso da água sanitária. O objetivo deste trabalho foi avaliar o teor de cloro presente nas marcas comerciais de água sanitária comercializadas em Maceió/AL e sua eficiência na sanitização. O presente estudo foi realizado no mês de setembro de 2013, sendo adquiridas 100% das marcas comerciais (n=12) disponibilizadas no comércio varejista. Para análise da eficiência microbiológica foi coletado no mercado público 12 pés de Alfaces. A análise do cloro residual das aguas sanitárias e microbiológico das alfaces foi por titulação volumétrica e número mais provável de coliformes fecais respectivamente. Das 12 marcas comerciais de aguas sanitárias analisadas, 2 (a marca B e K) e 2 ( marca C e F) apresentaram percentuais de cloro abaixo e acima do permitido pela legislação respectivamente. 75% das alfaces, que não passaram pelo processo de higienização, apresentaram uma carga microbiana inicial elevada, e destas apenas a marca comercial K com o teor de cloro de 1,21% não apresentou eficácia no processo de sanitização. Concluiu-se que nem todos os produtos seguem os padrões exigidos pela legislação e que algumas dessas divergências podem trazer riscos à saúde do consumidor e deficiência nos resultados de higienização esperado nos hortifrútis.

PALAVRAS-CHAVES: Alface, Higienização, Hipoclorito de sódio


Abstract

The consumption of vegetables, in natura fruits and vegetables is very common among the population, but consume these raw foods without cleaning or run this procedure incorrectly may trigger an important vehicle of microbial contamination. So it is of utmost importance to perform correct hygiene these foods, with easy and economical methods such as, for example, the use of bleach. The aim of this study was to evaluate the amount of chlorine present in the trademarks of bleach sold in Maceió/AL and its efficiency on sanitization. The present study was carried out in September 2013, being acquired 100 of trademarks (n12) available in the retail trade. For analysis of microbiological efficiency was collected in the public market 12 feet of rain. Analysis of residual chlorine of sanitary and microbiological water lettuce was for volumetric titration and faecal coliform most probable number of respectively. Of the 12 trademarks of sanitary water analyzed, 2 (the mark B and K) and 2 (C and F) showed chlorine percentage below and above the permitted by legislation respectively. 75 of lettuces that have not gone through the sanitization process, presented a high initial microbial load, and of these only trademark K with chlorine content of 1.21 showed no efficacy in disinfection process. It was concluded that not all products follow the standards required by the legislation and that the

Keywords: Lettuce, Sanitizing, Sodium hypochlorite


Autores: João Paulo dos Santos, Yalli da Silva Leite Lessa, Priscila de Lima Alves, Julliany Correia de Oliveira, Eliane Costa Souza, Waléria Dantas Pereira e Yáskara Veruska Ribeiro Barros


Acesse o artigo na íntegra em:

Acesse a ultima edição da Analytica

Ultimas Notícias

Seções
Fechar Menu